HPTalx

24 07 2006
Achei hoje um programa que, eu espero vai ser muito útil para mim, e provavelmente outros politécnicos e usuários de linux e calculadoras HPs: o HPTalx. Eu não tinha precisado antes, mas dado que tenho que fazer provas de recuperação amanhã e depois, fui procurar um programa que me permitiria passar os dados do meu pc para minha HP. Eu imaginava que ia ter que sair do meu quarto para ir até algum computador com Windows, já estava até conformado com essa idéia, quado me aparece o HPTalx:

guengel.ch - HPTalx Screenshots

Muito legal e funcional, igual a qualquer programa de comunicação que você acha no Windows. Deu um certo trabalhinho para instalá-lo, mas mais porque eu sou bem iniciante em linux e não gosto de "sair compilando esses negócios". Mas no fim das contas, tudo que eu precisei fazer foi: instalar o pacote de desenvolvimento do GTK+ (libgtk2.0-dev), rodar ./configure no diretório do código fonte e em seguida usar um programinha muito legal que é o checkinstall. Ele roda o make, que é o programa para compilar programas a partir do código fonte, mas ao mesmo tempo o checkinstall monitora quais arquivos foram adicionados, para você poder facilmente remover o programa depois! Então no fim das contas acho que minha cola de amanhã vai ficar boa! FIca a dica para os usuários de HP e Ubuntu.

Blogged with Flock


Coisa de Engenheiro

21 07 2006
Ontem chegou meu novo rádio do carro. Teoricamente eu tinha uma instalação grátis aqui do lado do trabalho, mas, quando fui dar uma olhada nos plugs e no lugar onde fica o rádio, um comichão me acometeu: "vou instalar esse negócio sozinho". Afinal, eu não estudei 4 anos e meio de engenharia elétrica para ficar dependendo de instalador! Ok, fui então. Primeiro, pegar o manual: li tudo, verifiquei os cabos, peças, vi que não precisaria de ferramentas especiais. Comecei então. Uma dúvida surgiu: será que os plugues do rádio antigo e novo são iguais? Bom, aparentemente sim, mas as cores não batiam, então, na falta do meu multímetro, fiz uma a gambiarra com LEDs e resistores para descobrir qual fio era o +, qual o - (também descobri que, ao queimar, um LED verde brilha vermelho, mas isso eu não queria saber...). Ok, verificado, liguei tudo, e, tirando um mal contato devido a sugeira no conector da frente do rádio (não foi minha culpa), tudo funcionou direitinho! A sensação de trabalho cumprido é muito boa. Eu ando um pouco chateado por não estar usando praticamente nada do que eu aprendi na facu até hoje no trabalho (meio com uma sensação de desperdício). Não estou reclamando, o trabalho no banco é desafiante, complicado e até bastante estressante, mas acho que estou sentindo falta de derivar alguma coisa... hehe Epílogo: De manhã, o carro não pegou... claro que todos acharam que eu tinha feito merda ao ligar o rádio, mas minha bateria estava já nas últimas, e o que deve ter matado ela de vez é que eu trabalhei com a luz do carro acesa ontem a noite. Só para realçar que eu não tenho culpa, ainda me lembrei ontem de ligar o carro depois para recarregar a bateria, mas acho que isto não foi o suficiente para ela se recuperar do golpe.

assim falou o peixe

17 07 2006
Woman inspires us to great things, and prevents us from achieving them. -- Dumas

Blogged with Flock


Flock!

16 07 2006
Estou usando um novo browser agora, testando ele, e o pouco que eu já usei posso dizer: é MUITO BOM! O Flock é um browser baseado no Firefox. Quem está acostumado com o Firefox vai se sentir em casa usando o Flock, porque a usabilidade e interface são muito parecidas. Mas a diferença é a seguinte: o Flock é inteiramente integrado a diversos serviço de Web 2.0, como Flickr, e del.icio.us. Ele não só dá suporte a esses serviços, como os usa ativamente, como por exemplo para permitiar que você compartilhe seus Favoritos entre seus computadores usando o del.icio.us! O sistema de buscas do Flock merece um parágrafo a parte. Quem á achava bom ter um camp de buscas do lado da barra de endereços vai adorar digitar a pesquisa, e enquanto digita ver alguns resultados do Yahoo! aparecendo, assim como resultados dos seus favoritos e do seu histórico. É ótimo pra quando você fez uma pesquisa na net sobre algum assunto, e resolveu depois escrever um post no seu blog por exemplo. Você pode refazer a sua pesquisa, e conseguir achar aquela página legal para colocar como fonte. Screenshot da busca do Flock Para blogueiros, ainda, ele se integra ao seu serviço de blog (suporta vários serviços) e você pode postar direto do browser, tanto usando um comando de menu "Blog This" quanto abrindo uma nova janela com espaço para escrever (o que eu estou fazendo nesse exato momento). Algumas coisinhas chatas: primeiro, ele não suporta nativamente as extensões do firefox, mas os desenvolvedores estão trabalhando em um conversor online para resolver este problema (funcionou para a extensão Cute Menus SVG para mim). Outra coisa: no linux, o click do botão do meio nas abas não as fecha!!! Isto estava me deixando louco, então descobri a solução (e já coloquei no wiki do Flock também). É o seguinte:
  1. Digite about:config na barra de endereços do Flock
  2. No campo Filter, entre middlemouse.contentLoadURL
  3. Mude a entrada de configuração middlemouse.contentLoadURL para false.
É isso aí: Flock, um ótimo browser para quem usa muito os serviços da Web!

Blogged with Flock


one red paperclip

13 07 2006
Olá a todos, como o Pedro acabou de me registrar aqui no Compilação, aqui vai o 1o site, com uma notícia fresquinha:

one red papeclip

one red paperclipEste site é o blog de Kyle MacDonald, que conseguiu trocar um clipe de papel vermelho por uma casa na cidade de Kipling, Canada.

Como ele conseguiu realizar tal façanha? Trocando o clipe 14 vezes no total: primeiro por uma caneta parecida com um peixe, depois por uma maçaneta de porta peculiar, que foi em seguida trocada por uma churrasqueira...

... e antes que se desse conta, Kyle trocava um globo de neve por um papel em um filme... e como a comunidade de Kipling queria alguem participando no filme... deram para ele uma casa (e muitos outros brindes) em troca!

Imagine, em termos financeiros: uma casa, títulos honorários, fama mundial, viagens ao redor do globo... tudo isso graças ao investimento de um clipes de papel vermelho, alguns litros de gasolina e trabalho bem feito... rendendo por um ano apenas!

Este "caso" prova 2 coisas:

- tempo é dinheiro... muito dinheiro!

- tenha uma boa idéia, coloque-a na internet, e terá sucesso.

Bom, é isso por hoje. No futuro postarei mais descobertas mais profundas. Boa noite a todos.


Apresentando: Julio - o Brócolis Ninja

12 07 2006
Julio é meu irmão. Ele é também uma das duas pessoas que eu mais respeito em matéria de achar coisas na Internet. A outra é o Vitor, que as vezes posta cometários aqui. O diferencial do Julio é a sua imensa capacidade de achar coisas totalmente inúteis, porém muitíssimo engraçadas na Internet (não exatamente o contrário do Vitor, mas quase). A partir de hoje ele terá uma "coluna" aqui no Compilação. Será a categoria Nets Insanas, em homenagem às Terças Insanas (obrigado ao Giuliano Colameo por nos apresentar a este show de comédia da cidade de São Paulo). E logo logo virá o primeiro Post dessa categoria: one red paperclip.

Histograma

10 07 2006
Um professor da Unifesp (Escola Paulista de Medicina), o Augusto Paranhos, que está orientando um trabalho no qual eu participo lá, me mandou um e-mail perguntando se eu conhecia um programa para calcular uma área em uma imagem em escala de cinza. Provavelmente ele está analisando imagens de diagnóstico médico. Bom, como eu disse a ele, não conheço nenhum programa que faça especificamente isto, mas respondi a ele falando de um jeito de fazer isto usando histogramas de imagens, e acho que pode ser interessante para alguém, então vou postar aqui. Um histograma (representação gráfica em barras), em análise de imagens é um gráfico de intensidade da cor no x, e proporção em que ela aparece no y. Ele te dá uma tabela do tipo:
Cor 0 (preto)              10 %
Cor 1 (quase preto)        15 %
...
Cor 255 (branco)            6 %
Muitas máquinas digitais hoje em dia mostram histogramas em tempo real para ajudar a tirar boas fotos. Aqui há uma boa página sobre isso. Existe um pacote de ferramentas de linha de comando que pode ser usado para gerar um histograma de imagens. Chama-se ImageMagick pode ser encontrado aqui: http://www.imagemagick.org/script/binary-releases.php O ImageMagick na verdade faz muito mais coisas, mas vou mostrar só isto por hoje, talvez outro dia eu escreva sobre como usá-lo para redimensionar imagens ou fazer coisas mais legais.
Nosso exemplo Uma imagem médica para servir de exemplo
Bom, mão na massa, em um diretório com uma figura chamada xra1.jpg, faça:
convert xra1.jpg histogram:xra1.hist
Este comando vai fazer aparecer no seu diretório um arquivo .hist que pode ser visualizado com o comando display FIGURA.hist, ou imdisplay FIGURA.hist. Você vai poder ver um histograma da sua imagem ali. O chato disso é quando alguma figura tem muitos pixels de uma cor só, como é o caso da nossa figura de exemplo (toda a borda preta). Felizamente, como cabeçalho do arquivo .hist existe um pedaço de texto com informações numéricas. Abra-o com um editor de texto (bloco de notas, por exemplo) e identifique a parte com várias linhas com o seguinte formato:
quantidade de pixels: ( R, G, B) nome da cor
Por exemplo:
     31101: (  0,  0,  0)       black
        16: (  1,  1,  1)       #010101
        16: (  2,  2,  2)       #020202
        12: (  3,  3,  3)       grey1
Copie esta parte em um novo arquivo de texto, e salve-o com a extensão .csv. Importe-o com o seu programa de planilha favorito - o Excel permite fazer isto, e o Open Office SpreadSheet também. Com os dados tabelados, vira mamão com açucar fazer algo como isto (note que o eixo y está com escala logarítmica para o gráfico ficar mais legível):
Nosso Histograma! Nosso histograma
Reparem como existe uma barra bem alta do lado esquerdo: esta é a orda preta. A escala logarítmica faz com que o resto do gráfico não fique tão achatado, e mostra que temos mais tons de cinza intermediários do que cinzas claros. Se tivessemos marcado uma área de branco e pintado o resto de vermelho, poderiamos usar a informação do número de pixels brancos sobre o número de pixels total para saber a proporção da área marcada sobre a área total da foto, e desta forma, talvez, medir a área de um tumor, ou algo do tipo!


Page delivered in 0.25153 seconds, 89 files included