Manaus

27 05 2008

(este post foi escrito em Manaus, na sexta-feira passada por volta das 11 horas, horário local, mas só foi postado agora pois não tinha as fotos para ilustrá-lo)

Finalmente um pouco de tempo para escrever no Blog! Estou no aeroporto de Manaus, esperando meu vôo de volta para São Paulo (it's called mobility baby!). Foi uma viagem bastante proveitosa: fui mandado aqui para conhecer um fornecedor, consegui conhecer três, e ainda consegui um dia e meio para passear.

As pessoas não tinham me falado muito bem de Manaus. Todos diziam que é uma cidade feia, suja, mas acho que boa parte disso é por que as pessoas normalmente estão aqui a trabalho e não têm tempo de conhecer as partes para turistas. Não estou dizendo que a cidade seja um Rio de Janeiro em beleza, ou uma Curitiba em limpeza. Na verdade, em ambos os quesitos Manaus não ganha nem de São Paulo (o que não é muito lisonjeiro), mas se você procurar bem, assim como em São Paulo, vai encontrar muitos detalhes muito interessantes.

Peixes Frescos no Mercadão Improvisado

A passeio, o primeiro lugar que passei foi a região do Porto e Mercado Municipal (que infelizmente está em reformas). Como toda região central, é bem bagunçada, barulhenta e suja, mas tem ums prédios antigos bem interessantes. Depois d bater bastante perna e muitas fotos, subi até o Teatro Amazonas.

Teatro Amazonas

O Teatro merece um parágrafo à parte. Além de ser muito grande, suntuoso e bonito, é muito bem conservado e a visita guiada é muito explicativa. O Teatro é bastante alto, e foi construído no final do século XIX, no auge do ciclo da borracha em Manaus. Ele foi projetado para acolher as figuras ilustres da época, e apresentar as grandes obras, tanto de teatro como de música. Consegui, junto com uma recém conhecida fotógrafa paulistana, ingressos para a ópera da Noite. A peça era Maria Golovin, de Gian Carlo Menotti (famoso quem?), mas isso não importava muito, o legal foi estar naquele belíssimo teatro.

Encontro

No dia seguinte, fiz um passeio de agência turística chamado Encontro das Águas, pela Amazon Explorer. É um pouco caro, mas valeu bastante a pena. São 6 horas de passeio, incluindo ver o Encontro das Águas de barco (e uns botos-cor-de-rosa no caminho), depois ir ver vitórias régias, passeio de "canoa" com direito a visitar uma loja flutuante com animais silvestres (meio cruel na minha opinião). Depois ainda estava incluso um alomoço, com alguns peixes locais (tambaqui, pirarucu, etc...)

Preguiça

Finalmente, à noite, fui com outra recém conhecida amiga paulistana na Ponta Negra tomar um chopinho. É um lugar muito rico da cidade, que, quando o rio está baixo (não era o caso), tem uma praia. É sempre muito bom tomar um chopinho num calor como o que faz nessa cidade.

No fim das contas, acho que tive sorte, por que consegui conhecer bastante coisa (gastando um pouco mais que eu gostaria, infelizmente), e tirar muitas fotos, mas principalmente por que, nesses 3 dias que passei aqui, não choveu!

(PS: minha mãe sempre falou que a gente tem fases... agora estou em fase de fotos carregadas, alto contraste mesmo, e também de colocar adendos no que eu escrevo... vai entender)



Page delivered in 0.222595 seconds, 89 files included