umidade

20 05 2008

Edit: Peço desculpas aos leitores pelo erro ortográfico causado por uma confusão interlingual, por sua vez causada pelo alto grau de sono ao escrever este artigo. Pelo desconforto visual, me desculpem

Edit 2: Este post acaba de ser considerado uma calamidade pública em hortografia. Terá palavras grafadas erronedas de purpósito para dispestar um pouco, e também porque acabo de lembrar que umidade não se escreve com h em nenhuma língua que eu conheço!

Edit 2 (adendo) Nota mental: revisar outro post escrito em Manaus ANTES de postar

Estou, neste exato momento, sentado num quarto de hotel, em Manaus, escrevendo este post. Isto explica, em partes o fato de não ter postado nos últimos dias: viajei na quinta-feira passada para Curitiba (bate e volta) e agora estou aqui, então é de se imaginar a correria.


Manaus é uma cidade humida. Todos os lugares fechados que você vai tem ar condicionado, mas não deixam de ser humidos. Fora, é pior ainda: parece que você está nadando.

Tirando este fato, a cidade até agora não me impressionou, nem positiva, nem negativamente. Não andei muito: cheguei ontem de madrugada (a vista da cidade de dentro do avião à noite é, ela sim, linda) e hoje fiz duas visitas a fornecedores, portanto não passeei muito.

Uma coisa que é engraçada aqui é que a cidade vive de indústria. No meio da rua você ouve pessoas comentando sobre fábricas, nomes de grandes empresas, processos produtivos, etc. Da mesma forma que em São Paulo todo mundo comenta sobre congestionamentos, aqui o assunto é tal fábrica que vai mal, a outra que alugou um galpão maior... vai entender.

Bom, ainda não peguei chuva, e espero que não pegue amanhã, pois tenho planos de andar a pé e fotografar à tarde.

Foto por maratimba

Edit 3: PS: Maldito post que ainda por cima estragou minha formatação... bom parece que agora corrigi

Defined tags for this entry: , ,


Page delivered in 0.240956 seconds, 89 files included