Interações

17 02 2006
[diario]

Hoje fui à Santa Ifigênia. Parei num estacionamento a dois quarteirões da Santa, como eu sempre faço pra economizar (R$ 3,00 a primeira hora e R$ 2,00 as próximas!). Passei naquele lugarzinho perto do fim da rua Aurora onde há uma esquina de 5 ruas, e onde tem uma loja de artigos pra bruxaria na frente de um puteiro. Tirando o fato de que eu gosto mais de Sampa do que daquele lugar, e que eu tenho tendencia a achar que São Paulo é mais limpa do que ali, mais primeiro mundo e tal, tem vários aspectos da cidade resumidos lá.

Primeiro, é um lugar com tudo pra ter um trânsito caótico, mas os carros até que fluem bem. Claro, na hora do rush tem trânsito, como em todo o centro, mas não tem maluquices, gente saindo na contra-mão, etc. As pessoas esperam o farol, passam e beleza. Ao mesmo tempo, tem um monte de gente a pé atravessando ao mesmo tempo, mas tudo se resolve e as pessoas vão seguindo. Como em todo o resto de São Paulo: carros demais, pessoas demais, gente na rua, má organização da infraestrutura, mas no fim das contas, não fica gente se pegando toda hora e quase sempre todo mundo chega em casa (quem achar que São Paulo tem trânsito louco vai pra Lima pra ver).

Continuando, além do trânsito e pedestres, naquela esquina passa de tudo. Desde a bruxa da loja de feitiçarias conversando com uma prostituta da região, até o engravatado que acabou de ir buscar seu aparelho de som de última geração na dita Santa, sem omitir os office boys, pessoal de informática, compradores das lojas da Santa, pessoal da área de contabilidade (a receita federal é ali do lado), etc., etc. e etc.

Por último, o que mais faz aquele canto de São Paulo resumir a cidade, é que, apesar de toda a diferença entre as pessoas que passam por lá, existe uma certa interação entre elas. As pessoas falam umas com as outras, pedem as horas, perguntam coisas, sem timidez, sem estarem desesperadamente precisando, e sem desrespeito. Quando eu estive nos Estados Unidos e na Europa, essa foi uma das diferenças marcantes que eu reparei. As pessoas lá não se falam na rua. Isso é uma coisa de América do Sul (pelo menos até onde eu sei). Eu adoro prestar atenção nessas interações.

Anteontem o carro parado na minha frente estava tocando uma música, e um cara que veio passando andando resolveu sair dançando! Bem cara de propaganda ou clip de música, sabe? Hoje tinha um palhaço com um bumbo andando ali pela rua dos Andradas mexendo com as pessoas que passavam. Onde mais eu vou ver essas coisas?



Trackbacks


Nenhum Trackbacks

Comentários

Exibir comentários como (Seqüencial | Discussão)
19 02 2006
#1 Anonymous (Responder)

q post bizarro hhehehe, not bad, just weird

bom, to usando o note com 2 monitores, e num deles tem em full screen um remote desktop do meu pc normal heheheh mto bom! soh uso um mouse e um teclado!

consegui saber de cotacao de preco da TIM Business: 100 minutos do pessoa no mínimo. Com 120 reais a gente tem, em 3, 300 minutos por mes. Mas qqr um gasta os minutos. Ahhh, os aparelhos vc ganha, aparelhos meia-boca e contrato de 2 anos. Tem q ter CNPJ pra assinar viu?

Abraços,
Vitor

Adicionar Comentários


Enclosing asterisks marks text as bold (*word*), underscore are made via _word_.

To prevent automated Bots from commentspamming, please enter the string you see in the image below in the appropriate input box. Your comment will only be submitted if the strings match. Please ensure that your browser supports and accepts cookies, or your comment cannot be verified correctly.
CAPTCHA

BBCode format allowed
Standard emoticons like :-) and ;-) are converted to images.




Page delivered in 0.217886 seconds, 94 files included