O Vermelho e o Negro, 661 páginas depois

29 07 2007
A mais de 3 meses atrás eu escrevi um post falando que estava lendo Le Rouge et Le Noir (O Vermelho e o Negro), do Stendhal. Note, eu já estava lendo o livro na época, eu não estava começando a ler...

Bom, meses depois, finalmente acabei de ler. Não vou escrever uma review sobre o livro, porque depois de tantos meses, não quero mais saber dele. Só vou deixar essa pequena marca para me lembrar de um dever comprido (sic).

O Wasowsky não leu o livro, mas não ficou muito impressionado com a habilidade do mesmo de ficar de pé sozinho.

le rouge et le noir

Defined tags for this entry: , ,


Trackbacks


Nenhum Trackbacks

Comentários

Exibir comentários como (Seqüencial | Discussão)
19 08 2007
#1 Cris Yamaji (Responder)

"O Wasowsky não leu o livro, mas não ficou muito impressionado com a habilidade do mesmo de ficar de pé sozinho".
Hahahahahaha... Super, Sr. Angelini!

Comentário adicional e viajante: Há um livro de bibliofilia "O bibliófilo aprendiz" em que o autor usa a metáfora da "habilidade" do livro de sustentar por si mesmo (ficar de pé, como disse) para expressar a qualidade do livro. Aposto que Wasowsky não sabia disso ao olhar para o Vermelho e o Negro. Afinal, como diria Machado: "Que Sthendal confessasse haver escrito um de seus livros para cem leitores, cousa é que admira e consterna". Vou ler (em português, é claro) e te digo em breve o que achei.

Adicionar Comentários


Enclosing asterisks marks text as bold (*word*), underscore are made via _word_.

To prevent automated Bots from commentspamming, please enter the string you see in the image below in the appropriate input box. Your comment will only be submitted if the strings match. Please ensure that your browser supports and accepts cookies, or your comment cannot be verified correctly.
CAPTCHA

BBCode format allowed
Standard emoticons like :-) and ;-) are converted to images.




Page delivered in 0.217264 seconds, 94 files included