113788349071020157

22 01 2006
[quick linux]

Aha! postando direto do Gnome!

Nossa... essa deu um certo trabalho... Continuando a história de Linux, estou testando uma ferramenta do Gnome que teoricamente vem por padrão no Ubuntu: o Gnome Blog Poster. Ele é um programinha que coloca seus posts direto no seu blog, pra fazer notas rápidas, como esta.

Porque deu trabalho? porque estou tentando fazer esse negócio funcionar desde que instalei o Ubuntu e ele nunca iniciava direito... mas finalmente descobri algumas coisas: primeira, ele funciona como um item do painel do Gnome (como se fosse um botão da barra do menu Iniciar), mas deve funcionar também por conta própria, como programa. A segunda que resolveu meu problema: me faltava o dicionário de português brasileiro Aspell (que eu acabo de apelidar ASSpel...)

Mas agora parece que está funcionando. Vamos ver só o que ele faz com minha formatação...


Ubuntu!

21 01 2006
[linux]

Já me encontrei no "MSN" (na verdade eu estava no GAIM) com alguns ultimamente e talvez vocês tenham reparado que algo como "Linux" ou "Ubuntu" no meu nickname, e está mais do que na hora de fazer um post sobre isto aqui.

Instalei no meu PC do quarto uma distribuição de Linux chamada Ubuntu. Eu nunca fui um aficionado pelo Linux e sempre disse o seguinte para quem é: é um sistema operacional para programadores. O que isto significa? Que em tudo o que eu já tinha testado de Linux, eu tinha tido que mexer em algum arquivo de configuração na mão, tinha tido que compilar alguma coisa, tinha ficado em dúvida onde colocar os arquivos ou, o pior de tudo, tinha tido que reescrever uma parte do programa que eu estava tentando instalar.

No fim das contas, nunca tinha conseguido fazer com que a utilização do Linux se tornasse algo prático para mim. E mais, eu trabalho com computadores, sou programador e gosto de ficar fuçando e mudando configurações, fazendo aqueles teakings (ou acertos) que a maioria das pessoas não se importa em fazer - como por exemplo mudar as fontes padrão do sistema (?!).

Mas exitem alguns problemas no mundo, e entre eles, dinheiro é um que não passa desapercebido. E ninguém gosta de gastar dinheiro, portanto usar o Windows, que eu considero o sistema mais amigável e compatível do mercado por diversos motivos, tem uma séria desvantagem. E existe um grande mercado que pagaria o que eles gastam com o Windows para migrar para o Linux de maneira tranquila, e economizar no futuro. Este mercado é um alvo da Imaginarie, e eu, como sócio comecei a procurar alternativas.

Provavelmente vou falar bastante aqui sobre o sistema: eu ando mexendo muito nele e preciso anotar o que eu estou fazendo, e além disso, acho que as coisas que eu for descobrindo podem ajudar muitos "amadores" em Linux como eu.

Para dar um gostinho, tem umas coisas que eu gostei muito nessa distribuição: primeira, o gerenciador de janelas Gnome é o padrão. Eu tenho uma birra com o KDE por experiências passadas e, apesar de considerá-lo mais amigável para quem vem do Windows, gosto mais do look-and-feel do gnome. Além disso tem uma coisa muito legal, que é a história de poder "montar" sistemas de arquivo em pastas, e assim eu consegui colocar meus arquivos do thunderbird no servidor aqui de casa e usá-lo em rede em qualquer computador aqui de casa ou com uma conexão razoavel!

Tela do Ubuntu, com o Firefox 1.5 e o Gaim 2.0 Beta (nenhum dos dois vem com a distro :[ )

A distribuição vem também com os pacotes mais usados, e logo de cara já deu pra sair usando, mas infelizmente passei quase um fim de semana inteiro para conseguir instalar direitinho todas as versões mais novas dos programas, e configurar coisinhas pequenas como o NUM-LOCK ligar automaticamente.

Mais tarde vou deixar aqui alguns links para quem quer testar esta distribuição e alguns tutoriais das configurações que eu for fazendo.


Surrealismo Concreto

07 01 2006
[interessante hardware]

Os surrealistas muitas vezes faziam suas obras unindo duas coisas que não estavamos acostumados a ver juntas. Hoje parece que as coisas andam ficando mais sérias e saindo das telas!

Imaginem uma bolinha pula-pula. Agora imaginem uma camera digital. Agora mesclem os dois! é isso que é o satuGO: See Aim Throw captUre and GO - uma bolinha pula-pula com uma câmera digital dentro, ou uma câmera digital com uma bolinha pula-pula por fora!?!

satuGO - bolinha pula-pula com câmera digital, e vice e versa

Ela tira fotos com o impacto, ou com um temporizador. Também serve de pen drive, com 1 GB de memória, webcam, quando ligada no pc e câmera externa, porque é bem resistente. Simplesmente divertido!


113637847857819201

04 01 2006
[meta]

Eu ia responder ao comentário do Vinícius no próprio post, mas o texto acabou ficando longo, então resolvi colocar aqui mesmo (além do mais, vou fazer festa em cima de um elogio - obrigado Vini).

Vinícius said...

Tá ficando bacana! Agora, tira a letra Times New Roman e coloca uma mais bonitinha. Brincar de template é sempre legal, mas dá trabalho...

Então... ainda estou na dúvida sobre a fonte. Eu resolvi mudar o template principalmente para que fosse mais fácil ler textos longos no Compilação, e acontece que existe todo um estudo sobre como "serifs", que são aqueles tracinhos decorativos da Times New Roman, ajudam na fluência da leitura.

(Por sinal, acabei de descobrir nesse site do depto. de Ciência da Computação da universidade de Indiana, que "sans-serif", que é um nome de fonte que não tem serifs, significa sem-serif, em francês! Nunca tinha pensado nisso...)

Outra coisa, a Times New Roman não estava me encomodando muito, até que eu resolvi fazer um teste desligando o Clear Type (veja este post), e ai sim me convenci a trocar... É uma pena, porque é sempre legal ter um argumento do tipo "Estudos comprovaram que isto é melhor pra você". Acho que o "fica mais bonitinho desse jeito" ganhou dessa vez.

Mas ainda não acabei de mudar o template! Falta ainda praticamente tudo o que será feito com figuras (bordas, marcadores, fundos), e não gostei dessas que eu fiz, então provavelmente serão mudadas.

Para fins arqueológicos, aqui vão alguns pedaços do layout como ele está hoje.


Novo template!

02 01 2006
[meta]
Nossa, nunca cumpri uma promessa tão rápido! Ainda está em faze de construção, mas o layout principal está online: faltam só as figuras para deixá-lo mais agradável aos olhos! [update 2/01/06] Novas funcionalidades do layout:
  • Mais espaço para o texto
  • Melhor redimencionamento do blog para janelas de tamanhos diferentes
  • Datas para cada post separadamente (afinal eu não escrevo tanto assim)
  • Páginas de cada post mais sem a barra lateral, para permitir uma melhor leitura
Aguardem mais : )

Layout

02 01 2006
[meta]

Um pequeno anúncio para um pequeno blog:

Como eterno descontente para com este diário, e depois de passar umas duas horas mexendo no layout desse negócio aqui, decidi que vou refazer todo o Template desse blog. Talvez não fique tão diferente: estou pensando em manter o esquema dos quadradinhos bem "blogger" e que vou manter o esquema de cores também.

Aguardem...


Turistas espaciais

01 01 2006
[interessante]
http://www.wired.com/news/wireservice/0,69947-0.html

Eu costumo dizer que eu espero que a indústria do turismo espacial cresça rápido para que eu possa fazer um passeio pelo espaço antes de morrer. E aqui tem uma boa notícia: os Estados Unidos já estão criando os regulamentos para vôos comerciais tripulados.

Mas o que é realmente interessante é como esta regulamentação está sendo feita. Uma coisa bem de americano: para incentivar a indústria, o governo proibiu o órgão regulador de criar leis por oito anos, ou até que algum acidente grave aconteça! Em vez disso, eles obrigam as empresas de turismo espacial a avisar os passageiros do risco e ter formulários de consentimento assinados.

Primeira reação: eles são loucos! Isso não é regulamentar, vai virar zona! Mas em seguida pensei: É Genial!

Turismo espacial é uma coisa cara: pouca gente vai poder viajar. Estas poucas pessoas vão impulsionar a indústria, provavelmente pagando caro por um serviço bastante perigoso e de pouco qualidade, mas, e daí? Elas são ricas, educadas, sabem o que estão fazendo e o dinheiro não vai faltar! Em oito anos, quem sabe então, as empresas vão estar com dinheiro, e pensando em expandir os negócios, e atingir uma camada de público com menos dinheiro. Essas pessoas, a classe média, é que precisam que o mercado seja regulado, pois são muitas pessoas, e no meio de muitas pessoas sempre tem um trouxa pronto pra ser enganado pela empresa de turismo mais próxima.

Outro ponto: ninguém entende direito de vôo espacial para turistas ainda. Quem sabe das necessidades do cosmoturista? Qual é o tempo máximo que se pode permitir que um vôo dure? Será que é necessário obrigar as empresas a terem banheiros separados para homens e mulheres nas naves? Qual tipo de amendoim não se pode servir em gravidade zero? Deixar os pioneiros testarem estas dúvidas sem leis, por conta e risco próprio é a melhor coisa a se fazer.

Eu não morro de amores pelo American Way, mas tenho que admitir uma coisa: quando se trata de legislação, eles são bons.


Feliz ano novo!

30 12 2005

Desejo a todos que lêem o Compilação um feliz Ano Novo, com muito trabalho e compensações por ele, muito dinheiro, muitos amigos, muitas viagens (nem que sejam até o vizinho), muito agitação e muito descanso, muitas noites viradas por bons motivos e muitas manhãs de domingo dormindo. Desejo aos leitores muita comida e muita bebida (suquinho pros que não bebem de verdade), de preferência me chamando porque acho que fui muito pouco ao bar este ano. Espero que no ano que vem eu possa conhecer melhor todos que lêem o blog, e que vocês também se conheçam melhor, porque eu gosto de ver meus amigos juntos. Para quem não tem namorado, espero que encontrem alguém, para os que já tem, que passem o ano sem (muitas) brigas!

Em suma, espero que quem lê este blog passe um ano de 2006 muito feliz e cheio de boas realizações. Para quem não lê o blog, eu espero a mesma coisa, mas acho que eles não vão ficar sabendo...

Feliz 2006!

Postão

27 12 2005
[meta]
Wow...

Eu estava revisando o texto do post aqui abaixo e caramba heim! Bom, espero que seja útil para alguém esse negócio.

Isso porque eu pretendia falar da instalação do PHP e do MySQL nesse artigo também. Bom, fica pro próximo.


Como instalar um Servidor Web na sua casa

27 12 2005
Eu considero que a instalação que este artigo sugere tem dificuldade média-baixa. Se você está realmente interessado e fala um pouco de inglês deve conseguir, talvez com algum quebrar de cabeça. Conteúdo:
  1. Introdução
  2. Instalando o Apache
  3. DNS para um IP dinâmico
  4. Mudando de porta
  5. Mais Informações

Introdução

Primeiramente, a pergunta que não quer calar para alguns: O que é um Servidor Web?!?

Bom, para não copiar a Wikipedia (ou em inglês), um Servidor Web é um programa que roda no seu computador e que permite que outros computadores acessem páginas da internet que estão no seu computador. Em outras palavras, toda e qualquer página que você acesse está hospedada em um Servidor Web.

Então primeiramente, escolhemos um Servidor Web. Existem vários, e os sistemas operacionais costumam já trazer servidores embutidos (IIS para o Windows, Apache para o Linux). Para uma lista de servidores, veja esta página. Nesse guia, vou explicar como configurar o Apache 2 no Windows Se você está usando Windows e estiver se sentindo corajoso, pode tentar instalar o IIS (procure IIS na ajuda do Windows XP Pro). Não é tão difícil de fazê-lo rodar, mas é bem complicado de instalar o PHP nele, e não achei ele tão bom, mas para um servidor simples, é uma opção.

Instalando o Apache

Ok, então, primeiro, fazemos download do Apache. Nesta página, um site mais próximo de você será selecionado automaticamente. No tópico contendo a versão mais nova, entre em Other files para ir para a lista de arquivos que você pode baixar. Se você está usando Windows e não está familiarizado com coisas como compilar e "linkar" programas, você vai querer os Binaries, que são os arquivos já compilados e com o instalador. Procure a pasta Win32, e, dentro dela o arquivo apache_2.0.XX-win32-x86-no_ssl.msi, que é o arquivo de instalação (troque o XX pelo número da versão mais nova). No momento que eu escrevo este post, pegando o site da Uol, o arquivo é apache_2.0.55-win32-x86-no_ssl.msi.

Você pode se perguntar, porque o no_ssl no nome do arquivo? SSL é a tecnologia base das páginas que se acessa com o https no começo (como sites de bancos, por exemplo). Essas páginas são criptografadas antes de serem mandadas para o usuário, e as informações que o usuário manda também são criptografadas. As distribuições compiladas com ssl não são liberadas por que em vários países uso de "criptografia forte" é proibida, pois é considerada como possível artefato militar, e também porque isso dificulta muito a vida da censura e das agências de informação (sim, a criptografia é realmente forte). No fim do post há um link para se instalar o módulo de criptografia sem ter que compilar uma distribuição (dificuldade média-alta).

Voltando dessa digressão, você já deve ter acabado de baixar o arquivo. Duplo-clique e cá estamos no nosso instalador bem conhecido dos usuários Windows. Depois de alguns Next sem muita emoção, você chega a uma aba perguntando coisas. Ela pergunta: Network Domain, Server Name, Administrator's Email Address e qual porta instalar. Se você não é um controlador de domínio (ou nem sabe o que raios é isso) coloque localhost nos dois primeiros campos. Se você sabe o que isso quer dizer e pode fazer as alterações na sua rede para colocar um domínio apontando para o seu computador, coloque nesses dois campos os endereços. Se você colocou localhost, mais pra frente vamos mudar essas configurações para que outros possam acessar o seu servidor.

No campo do endereço de e-mail do administrador você não precisa colocar um e-mail de verdade. Este endereço será mostrado a todos quando for exibida alguma página de erro, e isso quer dizer que você vai, cedo ou tarde receber muito spam no endereço mostrado aqui. Use o campo como achar mais conveniente.

As duas opções abaixo são um pouco mais úteis nesse momento, elas determinam para nós, principalmente como seu servidor será iniciado: a primeira (que diz Port 80) faz com que seu servidor seja iniciado junto com o Windows, além de fazê-lo atender a conexões nesta porta. A segunda (Port 8080) faz com que você tenha que iniciar seu servidor manualmente quando quiser. Eu recomendo a primeira, a não ser que seu computador seja uma lesma sem memória RAM. Neste caso eu recomendo que você atualize seu computador e escolha a primeira opção também.

Na próxima etapa, o programa faz aquela velha pergunta: Instalação Típica ou Avançada. Se você não pretende compilar novos módulos para seu Apache, escolha a Típica, se prentede, escolha Custom e selecione todos os itens da lista. Aqui você também pode não instalar a documentação do Apache, mas eu não recomendo isso, pois ela é bem pequena e prática.

O próximo Next te leva a uma tela que pergunta em qual diretório instalar o Apache e o Next desta tela começa a instalação. Uma vez pronta, voilà! Seu servidor está instalado. Entre no browser mais próximo e digite http://localhost/. Uma página feliz, em português, deve aparecer dizendo que tudo funcionou! Você já pode sair colocando páginas no diretório htdocs da instalação do seu Apache, que elas já vão aparecer no browser quando você digitar o endereço.

Ótimo, se não fosse por um probleminha: do jeito que está, só o seu computador pode ver o seu site. Isso acontece por duas coisas:

  1. As pessoas costumam não saber o endereço das outras na internet (o famoso IP)
  2. Muitos provedores bloqueiam as portas relacionadas com servidores web (a porta 80 e a 8080)

Para corrigir o primeiro problema, vamos criar um endereço DNS para nós em um serviço gratuito (próxima seção). Para corrigir o segundo, vamos fazer o Apache "escutar" outras portas (última seção).

DNS para um IP dinâmico

Qual o endereço do nosso servidor? Se você se lembra, nós colocamos na instalação do Apache localhost. Você deve estar pensando: "Eu sabia que devia ter colocado outra coisa!". Calma, antes de começar a pensar coisas más a meu respeito, leia minha explicação.

Todo computador na internet tem um endereço de IP, que é um número como 200.161.144.111. Mas quando você tem uma conexão discada, ou um Speedy (Virtua e Ajato eu não tenho certeza), cada vez que você se conecta seu IP muda. Então como fazer? Você não vai ficar mandando e-mail pros outros toda vez que se conectar para avisar que seu endereço mudou, né?

Servidores de sites têm IPs fixos, e pagam por isso (um Speedy Business custa mais ou menos o dobro do primo de IP dinâmico da mesma velocidade). Mas existe uma solução. Há alguns serviços de redirecionamento de IP na web. Um deles, é o No-IP. Eles oferecem vários serviços, como redirecionamento de e-mails, monitoramento de sites, mas o que nós queremos é "DNS Redirection". Você terá que se registrar. Clique em Sign-Up, preencha os dados (coloque seu email de verdade aqui), ative a inscrição pelo o e-mail de confirmação que você vai receber e entre no painel de configurações do serviço (Your No-IP).

Aqui você pode adicionar um redirecionamento para o seu site: Escolha Add, no item Hosts/Redirects do menu da esquerda. Escolha um nome para o seu site (something catchy) e coloque-o no campo Host Name. Escolha algo fácil de se lembrar como "casadopedro". Escolha um dos finais de DNS que eles propoem. Eu peguei "no-ip.info" e meu endereço ficou casadopedro.no-ip.info. O campo IP Address já contém seu IP atual. Os outros campos da página não precisam ser preenchidos. Eles existem para quando você tem mais de um endereço ou pra quando você tem um servidor de e-mail na sua casa.Clicando no Create Host você reserva um endereço pra você.

Se você tem IP fixo, pronto, seu endereço DNS já aponta para sua casa. Mas se você não tem, vá na seção Downloads do site do No-IP e baixe o No-IP DUC. A instalação é simples e vai te pedir seu email e senha do No-IP. Ele vai pegar as configurações que você colocou no site, e toda vez que seu IP mudar, ele vai mandar uma notificação pros servidores do No-IP para que mudem o redirecionamento do seu endereço. Lembre-se, isso pode demorar alguns minutos. Aqui nunca demorou mais que 5 minuntos depois de se desconectar.

Agora vamos configurar o Apache para atender a este servidor. Para isto, abra o Arquivo de configurações do Apache: httpd.conf. Ele se encontra na pasta conf, dentro da pasta de instalação do Apache. Você deve ir se acostumando a configurar coisas através de arquivos de texto se você quer ir além deste tutorial: a partir daqui os programas começam a ficar menos amigáveis. Observe que na pasta conf você tem um arquivo httpd.default.conf também. Por enquanto ele é uma cópia do arquivo que você vai editar, para poder recuperar caso algo ruim aconteça. Ter uma cópia já pronta é raro, não confie nisso e sempre faça um backup de qualquer arquivo de configuração que você for mexer a mão.

Entre no arquivo. Não tenha medo, ele é bem simples de se entender. Linhas começadas com # são comentários, normalmente elas estão aí para ajudar. Leia os avisos do começo. Você provavelmente não vai saber do que tratam muitas coisas desse arquivo (eu não sei, pelo menos). Eu aprendi a mexer nele grande parte por tentativa e erro. De qualquer forma você não pode quebrar muita coisa mexendo nesse arquivo, só o seu próprio servidor. Se você mantiver um backup de uma configuração que funciona sempre, não deve haver problema. Algumas opções podem abrir uma brecha de segurança no seu sistema, mas geralmente elas estão indicadas. As alterações que você faz no arquivo só são válidas depois que você reinicia o servidor. Para fazer isso, use a ferramenta que fica do lado do relógio e que se chama Apache Monitor, ou um item do menu iniciar que foi colocado quando você instalou o Apache.

Nós vamos direto à linha que diz: ServerName, substitua aqui o localhost:80 pelo seu endereço do No-IP (aquele que parece com casadopedro.no-ip.info), seguido de :80. Salve o arquivo e reinicie o Apache.

Dependendo do seu provedor, você conseguiu instalar seu servidor! Peça para um amigo testar digitando no browser dele o seu endereço. Se ele ver sua página principal, pronto! Se não, seu provedor pode estar bloqueando a porta 80 do seu computador.

Mudando de Porta

Último passo para quem tem um servidor chato como o meu. Portas são parte do endereço do seu computador que cada programa pode chamar ou escutar. Pense nelas como ramais de um PABX. Seu browser normalmente pede para se conectar na porta 80 dos servidores, pois esta é a porta padrão de Servidores Web. Como a sua parece estar sendo bloqueada (como a minha por causa do Speedy), você terá que fazer seu servidor escutar por outra porta. Para isto vamos novamente ao arquivo httpd.conf.

Estamos agora procurando por uma linha que diz Listen 80. Obviamente ela diz para o Apache que você quer que ele "escute" a porta 80. Não é preciso retirar esta linha, o Apache pode ouvir diversas portas. Adicione uma linha logo após esta com Listen 4000, por exemplo. 4000 é um número que eu sei que funciona com o Speedy. Eu sei que a porta 8080 também está bloqueada para mim.

Agora seu endereço para as pessoas de fora ficou algo como casadopedro.no-ip.info:4000. O ":4000" especifica a porta que seu browser vai usar para fazer a conexão. Não é tão bonito, mas resolve (trocadilho infame pra que entende algo de DNS).

Finalmente! Seu servidor deve estar funcionando para todos! Peça a um amigo que teste seu site de outro computador na internet. Caso ele ainda não esteja funcionando, tente desativar seu firewall por um segundo e peça que seu amigo teste seu site de novo. Se resolver, seu firewall deve estar bloqueando aquela porta também. Configure-o para que ele fique na dele e ça-y-est!

Mais informações

  • Manual do Apache: http://seuservidor/manual - O Apache vem configurado para deixar o manual dele online pra quando você precisar.
  • Como instalar o módulo de Servidor Seguro (SSL) do Apache: http://tud.at/programm/apache-ssl-win32-howto.php3
  • Deixe comentários nesse post com perguntas e problemas que eu respondo prontamente!


Page delivered in 0.320059 seconds, 89 files included