O Apê

10 11 2011

Depois de muito procurar, muito reformar e muito gastar, finalmente estou no apê novo (ok, já faz 1 mês, mas agora é que estou chamando aqui de casa). Para registrar, algumas fotinhos:

Primeira Inauguração

A primeira inauguração, com a família…

…geladeira abastecida do necessário para um bom começo (já melhorou muito desde então)…

fake fish eye

…a área social do Apê em uma foto, sem usar uma fish-eye…

Hamburgueres e bifes p/ congelar

… e finalmente minhas diversões diárias (neste caso, fazer bifes e hambúrgueres para deixar congelado para o dia a dia, mas também incluem limpar o chão, lavar e passar, etc)

Defined tags for this entry: , , ,

Jundiaí

05 09 2010

Os amigos mais próximos estão acompanhando essa história, mas é um fato bastante relevante, e vale a pena passar uma meia hora de fretado para descrever e registrar a situação. Hoje é o terceiro dia de trabalho em Jundiaí. A área de Materiais inteira (mais ou menos umas 60 pessoas) foi relocada. Do ponto de vista de negócio faz todo o sentido do mundo: na Paulista nós estávamos longe dos nossos clientes internos e dos nossos fornecedores.

Agora é aqui que eu trabalho

Claro que do ponto de vista pessoal, a história é outra. Eu aumentei minha locomoção diária total de 1h/dia para 4h/dia, e passei a acordar duas horas antes, e chegar 2h depois em casa, trabalhando mais ou menos 1h a menos num dia sussa.

O ambiente na fábrica é muito acolhedor, e os esquemas de transporte não são ruins (estou pegando um fretado), mas a distância complica as coisas, principalmente meu curso de pós, e outros cursos que venham depois. Mas tudo isso eu já sabia quando decidi ficar na Itautec e vir para a Fábrica... Então quais foram os argumentos que me convenceram?

O primeiro grupo de argumentos é o "Itautec é bom": gosto de trabalhar na Itautec, e estou com projetos bem interessantes, perspectivas de trabalhar um tempo na China, etc. O segundo é "Não é tão ruim assim": dormir pouco nunca foi problema para mim, e o horário que eu chego em casa não está muito longe do que eu já chegava. Com um pouco de imaginação, estou preenchendo o tempo "inútil" do fretado fazendo coisas para mim (como escrever no blog e ler)

Mas acho que o principal argumento é o seguinte: não faz sentido para a carreira que eu quero ter, sair de um emprego por conta de ser relocado. Imagina eu fazendo entrevista para uma multinacional, e perguntando das chances de ser enviado para outro país, mas respondendo que saí do meu emprego anterior por que era muito longe! É fácil, na hora de tomar a decisão, esquecer que uma das coisas mais importantes em uma carreira é a consistência das suas decisões. Estive olhando uns CVs para contratar mais uma pessoa para a minha área, e salta muito aos olhos quando a pessoa não tem um caminho que faz sentido... Dá a impressão que tem algo de errado no jeito que a pessoa decide, e ninguém quer ter um funcionário errático na equipe.

Bom, o negócio agora é ir para as cabeças!

Defined tags for this entry: , , , ,

Direto da livraria

08 05 2010

Depois de passar meses e meses lendo Il Pendolo de Foucault do Umberto Eco, e depois o Angels and Demons do Dan Brown eu finalmente cansei dessas histórias de seitas secretas e fui ler outras coisas. Ou pelo menos achava que tinha ido ler outras coisas.

josesaramago2

Li o Caim do Saramago, e gostei, mas menos do que o Evangelho Segundo Jesus Cristo, mesmo autor. Ambos os livros são “recriações livres” da Bíblia (velho e novo testamentos). O Saramago é um “ateu militante” como diz a Wikipédia, e o Evangelho é bem interessante nesse ponto de vista, mas acho que em Caim ele apela um pouco… algumas passagens parecem meio forçadas… mas talvez seja porque eu nunca li a Biblia.

Depois, ainda tentando fugir dos romances de seitas secretas fui ler o The Fallen Angels, do autor de romance histórico Bernad Cornwell. Tentando, por que lá estavam os Iluminatti de novo… Bom, um livrinho meio chatinho, muito bla bla bla sobre os sentimentos da personagem principal, e no final das contas é um romance romanticuzinho, mas bastante bem escrito, e a parte histórica muito convincente.

The Hunt for Red October

E agora, com licença que vou voltar ao meu Caçada ao Outubro Vermelho, do Tom Clancy, que peguei emprestado, e que está muito legal (e espero que não tenha seitas secretas).

Defined tags for this entry: ,

China 2 - O Retorno

08 05 2010

Ilha de HK

 

Mais ou menos um mês atrás eu estava voltando da China. Foi minha segunda viagem, e definitivamente melhor que a primeira. Também consegui escrever mais, um pouco graças ao smartphone, principalmente em tantas cidades com wifi de graça, mas também por estar muito menos perdido que da primeira vez. Aqui vai o que passou pela cabeça nesses 4 dias de voo e 5 de pés no chão em solo asiático. Acho que na próxima vou tentar postar enquanto ando… não tinha percebido que eu escrevia tanto até jogar todos os arquivinhos no mesmo post :-)

 


Continuar lendo "China 2 - O Retorno"


2009 - Um ano intenso e cheio de voos

01 01 2010

(este post foi escrito algumas semanas atrás)

A escassez de post neste blog é um indício de como o ano de 2009 foi cheio. Se tem uma coisa que marcou o ano foram as viagens: este ano já fui para destinos no Brasil, na Europa duas vezes e na Ásia... acumulei muitas milhas (menos na viagem mais longa... droga...) e fiz viagens divertidas, viagens cansativas, viagens longas, viagens muito curtas, corridas e sossegadas.

JAL (by Pedro Angelini) DSC00969 (by Denise Mayumi)

No trabalho, no final de 2008, meu ex-chefe trocou de emprego, me deixando duas “heranças” muito boas: passei a responder direto para o Diretor de Suprimentos, e fiquei com uma viagem a Taiwan engatilhada para março. Demorei um pouco para me adaptar ao novo chefe: obviamente ele tem muito menos disponibilidade para eu fazer perguntas do que eu estava acostumado, mas no final das contas, acabei me virando, e agora estou gostando da objetividade das nossas conversas. Além disso, acabo aprendendo bastante com outros contatos que eu tinha... não ter medo de perguntar e pedir a opinião das pessoas é uma coisa muito boa.

Chiang Kai Shek Memorial from National Theater (by Pedro Angelini) Taipei 101 (by Pedro Angelini) Squid Noodle Soup (by Pedro Angelini)

Mas em março peguei uma loucura de voo e 30 horas depois estava eu do outro lado do mundo (passando por NY e Polo Norte!). Taiwan é um lugar muito diferente de qualquer coisa que eu conhecia, e por outro lado, muito mais parecido do que eu esperava. O que eu mais lembro é que estava frio, eu estava com pouca blusa, então nas horas que eu não estava de terno, passei frio por uma semana. Comi comidas diferentes, passei vergonha num restaurante, ralei numa “feira ao contrário” e fui paparicado por fornecedores. Na volta, confirmei que 30 horas num avião é muito tempo...

IMG_5308 (processed) (by Pedro Angelini)  Vidinha + ou - (by Pedro Angelini) Mirante para a Lagoa da Conceição (by Pedro Angelini)

A primeira viagem a passeio deveria ter sido a da Europa, que estava sendo planejada desde o final de 2008, mas do nada apareceu uma viagem para Florianópolis em um feriado em abril. Foi uma delícia: além de pegar o carro por estradas boas, as praias são muito legais, e a companhia era ótima (a Dê, a Denize e o Bernad). Teve de tudo: praia, bebida, esqui-bunda, ostras, peixe, pombas... A Dê também sentiu o gostinho de viajar sozinha um pouco, pois ficou por lá num congresso alguns dias.

IMG_5589 (by Pedro Angelini) IMG_5867 (by Pedro Angelini) 
Catedral de São Francisco de Assis (by Pedro Angelini) Vale na Umbria (by Pedro Angelini)

Ainda com praia na cabeça, quando fomos perceber estávamos subindo os 6 andares de escadas da casa da Tati em Paris com os 100 quilos de bagagem nas mãos. Nossa viagem da Europa foi longa, gostosa, cheia de passeios e ótima para descansar a cabeça (o corpo ainda não teve chance de descansar). Não vou me alongar com histórias porque já escrevemos muito, mas decidi que um bom lugar para passar uma última velhice é a Úmbria... acho que eu seria feliz num asilo em alguma cidadezinha na montanha olhando para um vale...

Mas nem só de passeios e felicidade foi o primeiro semestre. O Pai da Denise adoeceu, e passou 2 meses dentro e fora do hospital, e meu tio Luis, de quem eu tinha lembranças tão felizes de infância faleceu depois de passar muito tempo doente.

Já o segundo semestre começou com boas notícias: foi criada uma nova vaga para a minha área na Itautec e acabei contratando a Andréia. Falando de trabalho, também pude efetivar o Felipe, agora no final do ano, o que é muito bom. Aos poucos vou aprendendo a gerenciar uma pequena equipe... Também consegui começar minha pós na GV, e definitivamente estou me tornando um administrador, mais do que engenheiro.

No Italiano (by Pedro Angelini) Académie de la Bierre (by Pedro Angelini)

Quando o ano parecia estar indo para um final corrido e cheio de problemas do dia-a-dia, me envolvi em um projeto meio urgente e acabei numa viagem para uma feira em Paris (sim! de novo!). Passei mais uma semana na cidade luz, em meio a muito bate-perna na feira e em reunião com fornecedores, mas deu tempo de ver a Tati, que estava meio chateada por ter se acidentado de moto e estar desempregada. No final ela arranjou um emprego uma semana depois que eu voltei (talk about timming). De volta de Paris, a correria de final de ano se intensificou, com direito a apresentar o que encontramos na feira p/ umas 60 pessoas por 2 horas e 20 slides.

Hey Jimmy! (by Pedro Angelini) glup... ahhh! (by Pedro Angelini) Mais uma garçon! (by Pedro Angelini)

Semana que vem já é natal, e domingo passado já comemorei meu aniversário, com o pessoal da GV (que é muito animado, por sinal), um pessoal da Poli e um pessoal do trabalho. Mas mesmo com tudo isso, não parece que o ano já esteja acabando. Hoje, por exemplo, estou escrevendo este post de uma sala de embarque em Curitiba, no segundo bate-e-volta que faço pra cá no ano. Amanhã e depois tenho provas na GV, e a quantidade de trabalho na Itautec está enorme.


Uma semana e tanto na Ilha Formosa

15 04 2009

(este post já tem mais de uma semana de escrito, mas demorei um pouco para acabar de editá-lo e ilustrá-lo, para o deleite visual do leitor)

No momento, estou de volta a uma sala de embarque no Aeroporto Internacional de Narita, depois de algumas horas num 767 vindo de Taipei. Tenho pela frente mais uma hora de chão, e depois umas vinte e tantas horas de vôo + aeroporto de NY, com direito a passar pelo raio-X de novo, e lá nos EUA, que é o mais chato do mundo (tem que tirar sapato, cinto, jaqueta, etc…).

JAL (by Pedro Angelini)
é… uma grande parte da viagem foi entre asas desse tipo…

A semana foi muito boa, tanto na parte de trabalho, quanto culturalmente. Taipei é uma cidade muito gostosa de se passear, e os habitantes são muito educados e organizado. No primeiro dia que eu estava lá, dei uma boa andada por perto do hotel, mas sem muitas aventuras (tirando me perder por achar que o hotel estava em um lugar do mapa, sendo que ele estava em outro). Uma coisa que chama atenção é a quantidade de scooters que os chineses têm, e que ficam estacionadas nas calçadas. Uma outra coisa que você percebe logo é que as ruas tem nomes escritos em caracteres latinos (eles dizem que o nome está escrito “em inglês”, mas a não ser que Nanging queira dizer alguma coisa para a Rainha da Inglaterra, eu diria que está escrito em chinês).

Voltei para o hotel lá pelas 3h da tarde, e esperimentei o real significado de jet-lag: um sono daqueles que te deixa meio zumbi. Felizmente, quando sentei na cama para ver um pouco de tv, acertei o despertador, se não tinha perdido o coquetel de abertura do evento que participei.

Nos dias seguintes, tive várias reuniões com fornecedores taiwaneses, sempre muito gentis e atenciosos. Um deles me levou para conhecer o Taipei 101, o maior prédio de Taiwan, e o segundo maior do mundo, que é bem divertido. Infelizmente eu não estava com a minha câmera… Também fui junto com o Henrique, um brasileiro que também estava participando do evento, em no Night Market de Shihlin. É uma experiência bem interessante, com muitas coisas diferentes para se ver, mas ir sem um nativo não é tão legal, por que é muito difícil você criar coragem de comer a comida.

Meu último dia inteiro em Taipei foi sábado. Aí sim tive chance de passear:

Sun Yat-Sen Memorial Garden (by Pedro Angelini) Taipei 101 (by Pedro Angelini) Chiang Kai Shek Memorial Portal (by Pedro Angelini) Chiang Kai Shek Memorial (by Pedro Angelini) Taiwan Presidential Palace (by Pedro Angelini) National Palace Museum (by Pedro Angelini)
dessa vez resolvi inovar e faço comentários e conto as histórias nas fotos no Flickr

No final do dia, a Demi, que é uma fornecedora da Itautec, mas com quem eu nunca trabalhei diretamente, me pegou no hotel para irmos em um Night Market mais perto do centro. O objetivo era comer comida típica (“but not too spicy Demi, please”), e comprar souvenires.

Comida foi a coisa mais complicada em Formosa (que é o nome dado pelos portugueses quando conheceram a ilha de Taiwan). Não é só o cheiro de um dos tofus deles que, para nós ocidentais cheira mal, é também que, quando você olha a para a comida pronta, você não faz idéia se a origem é vegetal, animal ou mineral… além disso, nos night markets eles vendem todo tipo de iguarias que não se come no dia-a-dia, incluindo mas não se limitando a: pescoço de pato, pé de galinha, pedaços irreconhecíveis de algum animal incógnito, frutas (legumes?) que você nunca viu na vida, etc.

Mas, você poderia dizer, ok, é só ir em um restaurante, certo? Errado. Chineses tem um costume muito legal de fazerem os pedidos juntos e compartilharem a comida, que é servida em vários pratinhos no meio da mesa e os comensais vão pegando. O problema disso, é que você não tem nos menus algo como o nosso “prato executivo”, ou “menu do dia”, que você pede uma coisa, e come a sua comida. E, apesar de entenderem alguma coisa de inglês, e saberem distinguir quando você está pedindo a conta ou pedindo mais chá, os garçons não conseguem te explicar direito o que é cada comida, ou te dar uma sugestão de que pedir (talvez inclusive por que as pessoas lá são, em geral, bastante tímidas). Isso pode causar algumas situações chatas, equivalentes a alguém entrar em um restaurante no Brasil, pedir uma cesta de pão, comer um pouco com ketchup, pedir a conta e sair… Não me perguntem, leiam aqui.

Bom, mas voltanto ao Night Market, olhem só o que eu comi por lá.

Oister Omelete (by Pedro Angelini) Squid Noodle Soup (by Pedro Angelini) Squid Noodle Soup (by Pedro Angelini)
Chinese Food (by Pedro Angelini) More Chinese Food (by Pedro Angelini) Chinese food (by Pedro Angelini) Night Market (by Pedro Angelini)
primeira linha: coisas que eu comi, segunda: coisas que não arrisquei

Ah, outra dificuldade é lembrar os nomes em Chinês, o que as vezes faz você se sentir um analfabeto com problemas de memória de curta duração, e te impede de conseguir pedir de novo quando você acerta (ou contar para os amigos o nome daquela fruta gostosa que você comeu, apesar de ter perguntado 5 vezes para a sua amiga taiwanesa).

Defined tags for this entry: ,

Japonesas por todo lado

30 03 2009

Local: Aeroporto Internacional de Narita (Tóquio), portão 62 (cara, aqui os portões passam do 80). Aqui, agora são 14:20 do domingo. A expressão “bunda quadrada” acaba de ganhar um novo sentido para mim, mas a viagem não foi tão ruim: o serviço da JAL está pau a pau como da British na disputa pelo 1º lugar das minhas viagens (só que na British eu ganhei escova, pasta de dente, meias e viseira para dormir). Dormi muito pouco (2 ou 3 horas), mas não estou extranhando tanto o fato de estar de dia… se tudo der certo, vou chegar cansado no hotel, mas vou tentar deixar para dormir mais tarde, só lá pelas 23h, e ver se consigo dormir a noite inteira. Ainda bem que a primeira atividade de trabalho é só na segunda à tarde.

IMG_5084

De cima, o pedacinho do Japão que vi até agora parecia uma maquete. Tudo super arrumadinho, cequinhas bonitinhas, árvores plantadas em linha com espaçamento perfeito, turbinas eólicas girando sincronizadas (ok, nem tanto, mas quase). O aeroporto, apesar de bem grande, é igual a qualquer outro, a não ser  (Dê, pule para o próximo parágrafo) pela proporção de japonesas bonitinhas por m² ser fantástica. Não sei como meus olhos continuam vermelhos, por que este lugar é um colírio. Brincadeiras a parte, aeroporto é tudo igual, e as atendentes de lojinhas no Brasil também são bonitinhas (assim como se você for no shop. Iguatemi, em São Paulo). Outra surpresa agradável: um segurança japa orientando pessoas em espanhol! Adoro este povo. Surpresa chata: tudo aqui é muito caro! Um barbeador que vi na Amazon.com por USD 50 está custando mais de 90 aqui… espero que Taipei seja diferente (preciso do barbeador).

Ah, o aeroporto de Narita é gerenciado pelo HAL (do 2001 – Uma Odisséia no Espaço). Para ele ficar mais amigável, colocaram um pequeno mangá de aventuras de bombeiros em baixo da famosa luz vermelha que fala dele.

 
Ok, esta não é a foto do HAL, que ficou ruim, depois eu substituo… também não são as japonesas do aeroporto… aliás, essas modelos são de Singapura

Ah, e por último: mó legal ficar tentando pescar palavras quando tem anúncios no alto-falante… agora pouco descobri que estavam falando uma lista de nomes: fulano sam, siclano sam, beltrano sam… :-)

foto das “japonesinhas” por madaboutasia


Con-fuso

30 03 2009

Local: Aeroporto JFK, Nova Iorque, sala de embarque, portão 5. hora: nove da. *olhando pela janela*. da manhã.

Mentalmente faço as contas: são mais 15 horas de vôo (mais ou menos uma, por que ainda não aprendi a colocar o horário de verão nas minhas contas). De qualquer forma, bate meu recorde pessoal, e com certeza terá sido a viagem mais cansativa que já fiz, pois de São Paulo para cá foram quase 9 horas de vão, portanto, contando com a 1h30 aqui no aeroporto, terão sido mais ou menos 25 horas (mais ou menos 2 agora, por que pode ter tido dois horários de verão no meio. se bem que aqui não parece nada ser verão). Daí eu espero mais 3 horas no aeroporto e embarco para não sei mais quantas horas para Taipei.

Bom, não posso reclamar muito por que consegui um lugar perto da saída de emergência, que, além de eu poder operar a porta e ser o primeiro a pular no gelado pacífico caso alguma coisa aconteça (ueba), significa que eu tenho um privilegiadíssimo espaço para esticar as pernas.

Do meu lado veio um sr Japonês, que aparentemente não fala ou não quer falar português, nem muito inglês, então o vôo foi quieto. Também não consegui seguir meu plano de fazer como se eu já estivesse no horário de Taiwan (portanto de dia, e sem dormir). Depois de um belo jantar de algo que se chamava "carne" e vinho, o sono bateu e cochilei um pouco. vou me ferrar na segunda-feira.

Outra curiosidade: sushi sem peixe (mas com um potinho de shoyu) no café da manhã. Não consegui comer o shoyu.

<grumpy mode> acabo de descobrir que o Wifi aberto daqui é daqueles que vc tem que pagar. droga. e eu pensando: primeiro mundo, wifi gratis, blablabla. americanos gananciosos, já achei que ia poder conversar com o pessoal de casa no skype.</grumpy mode>

Bom, ainda estou com bastante medo do que vai acontecer quando passarmos a linha do outro lado do mundo de Greenwich (tem um nome essa linha). Acho que eu volto no tempo, ou avanço no tempo, mas de qualquer forma depois de pensar nisso por alumas horas no  avião cheguei à conclusão que a ilha de Lost com certeza está exatamente nesta linha. Bom, esse post só vai aparecer na net "amanhã", mas wish me luck.

foto por {erikv}


Updates

14 02 2009

Este começo de ano está prometendo. Em ordem cronológica:

10

Vou continuar a Iniciação Científica que comecei no terceiro ano da facul e tinha ficado meio (ok, minha parte totalmente) abandonada. É na área de informática aplicada à oftalmologia, e envolve umas imagens de fundo de olho como esta na ilustração. Vai ser muito bom para retomar contatos, voltar um pouco ao mundo acadêmico e voltar a programar um pouco.

Arena de Évora (by zone41)

Não, não vou para a Espanha (nem pra Barretos). Vou voltar ao curso de espanhol.

Sunset of Taipei (by Matthew Fang)

A trabalho, vou para Taipei – Taiwan! Por volta de 72h de vôo/conexões para a ida e volta, para passar uma semana visitando fornecedores e fazendo reuniões… espero que dê tempo para passear um pouco também (apesar de que só a parte de trabalho já vai ser muito interessante).

your body is a wonderland..... (by Graceº)

Floripa – A Dê e eu vamos para lá em um dos feriados de Abril (aliás, vocês repararam como abril está cheio de feriados?). Não conheço, mas dizem que tem praias lindas e mulheres igualmente bonitas. Vou dirigindo levar mais uma para embelezar o local temporariamente. Aliás, neste tópico, a Dê vai passar o resto da semana por lá pois conseguiu publicar seu trabalho de fim de curso da Pós em um Congresso. Parabéns pequena! (mais sobre esta viagem no deep em breve)

Zidane (by Kaptain Kobold)

França e Itália em Maio – A Dê e eu conseguimos tirar férias no mesmo mês este ano. Uma oportunidade única para fazermos aquela mega viagem que a maioria dos casais quer fazer: França e Itália. Uma palavra para entender a ilustração: Zidane. (essa viagem já tem alguma coisa no GoPlanit, e em breve vai ter muitos detalhes no deep)

Suits (vertical) (by Austin Tolin)

Pós-graduação no segundo semestre. Muito provavelmente CEAG na GV… ainda não muito bem definido pois é muito caro, mas acho que está na hora de parar de bundar e ir estudar alguma coisa, né?

Tudo isso me deixa bem animado, pois no ano passado eu estava me sentindo meio inútil, só fazendo um curso de espanhol duas vezes por semana… Agora é cuidar para não fazer overbooking de atividades.

fotos do Flickr por zone41, Matthew Fang, Graceº, Kaptain Kobold e Austin Tolin


Retrospectiva 2008

27 12 2008

Ano passado não fiz retrospectiva: o final de 2007 foi muito agitado, com o final da faculdade, e a Viagem à Chapada Diamantina. É uma pena, por que reler retrospectivas é bem legal (estou relendo a de 2006).

Bom, 2008 foi um ano meio incremental… isto quer dizer que não fiz nada radicalmente novo, mas refiz várias coisas, de maneira melhor ou mais intensa.

  • Comecei o ano longe de São Paulo, doente depois de ter comido uma pizza com Bacon
  • Rodei uns 2.500 km em alguns dias para voltar para São Paulo
  • Passei de novo pelo Rio, e ainda não conheci a cidade direito
  • Comecei a trabalhar com carteira assinada pela primeira vez
  • Tirei muitas fotos, escrevi bastante sobre elas
  • Fotografei o centro de São Paulo à noite com amigos na Virada Cultural
  • Comi bastante comida Japonesa
  • Senti um terremoto (isso foi legal, quero de novo!)
  • Viajei a trabalho para Manaus, e passei alguns dias como turista
  • Conheci duas pessoas com quem a única conexão foi estar na mesma cidade sozinhos no mesmo momento
  • Comecei a usar o Twitter (eu que achava esse negócio uma boabagem, e agora sou viciado)
  • Visitei exposição de fotos
  • Cozinhei bastante, na maioria das vezes junto com a Dê
  • Fiz rapel e rafting em Brotas
  • Organizei mais um Safari pelo centro de São Paulo (mais ousado que o anterior)
  • Comprei lentes macro de presente (pensando agora, acho que é o presente mais caro que já dei para alguém, e estou muito feliz com isso)
  • Fui em um show da Dave Matthews Band e vi que eles são tudo isso que se fala (ou seja, vale a pena mudar planos de viagem para ver um show deles quando eu for para os EUA)
  • Acabei um curso de língua
  • Viajei a Buenos Aires a passeio em um feriado por lá
  • Meu chefe pediu demissão
  • Comprei um computador de marca
  • Trabalhei demais, tomei muito pouca cerveja com meus amigos
  • Fiz Chocolate com Bacon junto com o Thiago – e ficou muito bom!

Happy new year 2008-1 (by Matthew Fang)

Algumas coisas terão que mudar no ano que vem, e vou começar desde cedo em 2009 a trabalhá-las.

  • Preciso ver mais meus amigos, e fazer laços mais profundos com o pessoal do trabalho
  • Tomar mais cerveja (diretamente relacionado com o acima)
  • Fotografar mais, mas principalmente, colocar as fotos mais rápido na internet
  • Viajar mais, fazendo viagens mais econômicas para fazê-las mais vezes
  • Comer mais salmão (ok, eu comi um monte de salmão esse ano, mas peixe deixa você inteligente)
  • No trabalho, focar mais na minha carreira
  • Voltar a estudar

Bom, aproveitando a deixa então, Feliz Ano Novo para todos os leitores, e um ótimo 2009!

foto por Matthew Fang

Defined tags for this entry: , , , , , ,


Page delivered in 0.244701 seconds, 89 files included