Fotografia

14 05 2007

Eu amo música. Amo de verdade, não por força de expressão. Artes gráficas são uma coisa que eu gosto. Não me entenda mal, eu gosto muito, mas é diferente, é uma coisa mais racional do que com música. Isto não é melhor ou pior, são dois jeitos diferentes de me fazer feliz, e quanto mais jeitos, melhor, não?

Bom, e o fato de eu gostar mais racionalmente de artes gráficas, me faz tender a gostar mais das obras pensadas do que das obras sentidas. Estive divagando (como eu costumo fazer dirigindo, principalmente à noite sozinho), e cheguei à conclusão que deve ser por isso que gosto tanto de fotografia.

Fotografia é a mais "engenheiristica" das formas de arte. Você pode argumentar que a nova arte digital, que usa computadores e efeitos visuais, é mais técnica do que a velha fotografia, mas eu digo que poucas são as formas de arte que exigem pensamento tão técnico do artista na hora de criar. Um desses poucos exemplos talvez aqueles "plugins de vizualizações" do winamp e similares (aquelas formas bonitas que ficam mudando conforme a música).

Quando se vai tirar uma fotografia, geralmente você tem que pensar em ângulo, zoom, distância focal, lentes, isso sem falar nas famosas abertura e exposição, que tanto assolam nós pobres amadores. Queira ou não, você acaba pensando em sensibilidade de filme, iluminação natural, olhos vermelhos.

Hoje em dia, se alguém se propusesse a divulgar uma forma de arte que obrigasse o artista a pensar em tantos detalhes e entender tão bem o funcionamento do seu "pincel", duvido que isto iria muito para frente. Nem os novos fotógrafos pensam muito nisso. Com as máquinas digitais, tudo fica muito mais tentativa e erro, já que você pode ver na hora se sua foto saiu escura ou queimada, ou fora de foco. É como com um quadro: se você der a pincelada, já sabe se ficou bom ou ruim.

Por um lado isso é bom: populariza, faz com que gente que não tinha o conhecimento ou o saco para pensar nessas coisas passe a fotografar, trazendo para o mundo da foto visões diferentes, de um tipo de gente diferente. Por outro lado, também é bom, pois nada impede de você ainda sair pensando nos parâmetros técnicos de uma foto.

O que? Estava esperando alguma polêmica, ou que eu reclamasse de alguma coisa? Hoje não... tem coisas direitas no mundo.

uncut (by puja)


Obs: screenshot do plugin AVS do Winamp do El-vis (site oficial), chamado Golden. Foto por puja.

Defined tags for this entry: , , , , , ,

Oh nine, Eff Nine

05 05 2007

Alguns dos meus leitores não fazem parte da media "geek" (ou nerd, é só um termo mais bonitinho), então talvez não tenham visto o que aconteceu esse semana. O Digg, um site onde você pode colocar links para artigos que você achar interessantes, após receber uma "cartinha" da AACS LA, representante das grandes gravadoras, removeu diversos links para sites que continham esse pedaço de código:

09 F9 11 02 9D 74 E3 5B D8 41 56 C5 63 56 88 C0

E o que é esse código? É uma chave de criptografia usada na codificação de HD-DVDs, que torna possível copiar os discos. Usar ou divulgar essa chave é ilegal nos EUA, segundo este artigo do MediaShift (que aliás é um ótimo site para quem se interessa em como os meios de comunicação estão evoluindo).

O que os usuários fizeram? Coisas como isto, isto, musiquinhas, um grupo no flickr, ou até uma versão Star Wars do código!

 09 F9 11 02 9D 74 E3 5B D8 41 56 C5 63 56 88 C0 (by pedro.custodio)

Uma verdadeira comoção, que se espalhou além do Digg, e fez com que o site se "rendesse" aos usuários e parasse de deletar o conteúdo ilegal.

A mídia impressa americana também noticiou o "evento", mas aqui no Brasil, até agora só vi alguns posts em blogs.

Muitos "conservadores" argumentam que os usuários e formadores de opinião devem começar a tomar cuidado com esse tipo de manifestação (reparem que o artigo do MediaShift não inclui o código), e talvez até se auto-censurarem: algo como não filmar o cara que invade o campo pelado para ele não ter a publicidade do fiofó grátis.

Outros argumentam que a indústria de mídia é decadente, e que se apega desesperadamente em legislações antiquadas para tentar salvar seu patrimônio intelectual. Por isto, segundo eles, esse tipo de manifestação se tornará cada vez mais comum, até que as leis de propriedade intelectual (nesse caso, no sentido de Copyright) sejam mudadas e permitam cópia entre usuários de uma rede.

Minha opinião está mais com o segundo grupo, mas com alguns poréns. O primeiro é que eu não acho que a indústria fonográfica e de mídia "convencional" vá para o buraco por causa da Internet. Ao mesmo tempo que a Sony inventa um novo sistema de proteção de músicas para seus mp3 players, ela deve ter pelo menos um belo time de advogados, um de marqueteiros e um de engenheiros quebrando a cabeça para descobrir como faturar alto nesse novo mundo. E não se enganem: eles vão descobrir, e muito provavelmente antes dos outros, pois têm recursos.

Outra coisa é que as leis devem mudar sim. A situação, como está é bastante insustentável. Não é possível manter um sistema onde qualquer juiz ou legislador tem, se não dentro de casa, na casa do irmão, primo ou vizinho, um contraventor. A Lei Seca americana é um exemplo disso.

Mas enquanto esse futuro não chega, eu continuo baixando músicas na Internet (sim, você não), e também comprando CDs nas lojas. Me parecem duas coisas bastante civilizadas de se fazer.

Defined tags for this entry: , , , , ,


Page delivered in 0.257181 seconds, 89 files included